ResidentEvil.net e o aprendizado da Capcom nas redes sociais

Capcom anuncia rede social para Resident Evil 6

A nova jogabilidade e o desenvolvimento fragmentado não foram as únicas tendências criadas por Resident Evil 6. Com o novo game, a Capcom também deu seu primeiro passo no campo das redes sociais lançando o ResidentEvil.net, um serviço que serve a jogabilidade online do título e registra estatísticas e dados de todos os usuários cadastrados.

A iniciativa serve como mais um passo da Capcom rumo a novas práticas no mundo dos games, voltadas à ampliação do faturamento e aumento da vida útil dos jogos. Por meio de eventos online, a desenvolvedora pretende incentivar os jogadores a continuarem em Resident Evil 6 mesmo após terem completado todas as campanhas e obtido as mais altas pontuações no modo Mercenaries. A tentativa é de agregar ainda mais valor ao título e justificar o dinheiro empregado na aquisição.

Jogos como serviços

Apesar de não terem criado a tendência, os dois maiores jogos de tiro em primeira pessoa da atualidade foram responsáveis por consolidar a ideia de que títulos podem ganhar ares ainda mais sociais. No ano passado, a Activision criou Call of Duty Elite e, em junho de 2012, a Electronic Arts entrou na briga com Battlefield Premium, aliado ao Battlelog.

Apesar das grandes diferenças, os dois serviços possuem o mesmo objetivo: oferecer algo a mais a seus fãs. Sejam vídeos, eventos especiais, skins ou armas exclusivas ou acesso antecipado a DLCs, ambos servem como redes sociais para seus respectivos jogos, aproximam a comunidade e tornam a experiência muito mais imersiva e engajada.

ResidentEvil.net e o aprendizado da Capcom nas redes sociais

Antes disso, a Electronic Arts já caminhava nesse nicho com serviços como o Autolog, para seus games de corrida, ou o Battlelog, que até hoje serve para marcação de partidas online e gerenciamento de listas de amigos. Battlefield Premium, porém, é a primeira empreitada dedicada a um único título.

Uma pesquisa recente da rede social Raptr revelou que esse tipo de elemento é capaz de dobrar o ciclo de vida de um game. Segundo Dennis Fong, CEO do serviço, a criação desse tipo de relacionamento com os jogadores faz com que eles se sintam valiosos e mais dispostos a contribuir, tanto reportando erros para melhorar seus títulos preferidos quanto participando ativamente das interações propostas pela desenvolvedora.

Para ele, o trabalho de uma empresa com um game não termina quando a produção chega ao fim e as caixinhas estão nas prateleiras. Fong afirma que as companhias devem passar a encarar seus jogos como serviços completos, pensando em maneiras de engajar seus usuários e mantê-los interessados.

E é justamente isso que a Capcom está fazendo com a ResidentEvil.net. Antes mesmo que o interesse dos gamers em relação a RE6 comece a diminuir, a empresa já disponibiliza eventos e coloca os jogadores para quebrar seus próprios recordes. A recompensa para tudo isso ainda é pouca, mas a empresa promete prêmios melhores e mais significativos no futuro.

O pânico da estreia

Seguindo completamente a tendência do mercado, a rede social de Resident Evil 6 também enfrentou graves problemas em sua estreia. O serviço sofreu – e ainda sofre – de problemas constantes de conexão, erros de integração com as contas de usuário na PlayStation Network e Xbox LIVE ou falhas no gerenciamento de perfis e senhas.

http://www.theverge.com/gaming/2012/10/4/3453760/raptr-research-says-engagement-between-publishers-and-gamers-is-the

Apesar de ter sido disponibilizada em 2 de outubro, mesma data de chegada do game às lojas, os primeiros resultados só começaram a aparecer na ResidentEvil.net uma semana depois. O progresso de muitos jogadores durante os primeiros dias chegou a ser perdido e as estatísticas de jogo, quando apareciam, estavam incompletas e dessincronizadas com os dados reais.

Para lidar com o problema, a Capcom adiou o início dos eventos e, diariamente, realizava manutenções e correções. Todo o progresso é postado em uma área específica da rede social, que permite aos usuários acompanharem as modificações realizadas na estrutura. A rede chegou a ser retirada do ar por várias horas enquanto testes eram realizados.

Em 14 de outubro, com a integração entre as contas online já mais ou menos estabilizada, a Capcom deu início ao primeiro evento da ResidentEvil.net. Em poucos dias, porém, o primeiro lugar do ranking foi ocupado por hackers, que manipularam os resultados e ampliaram suas próprias pontuações.

O problema, em grande parte, foi motivado pela ausência de dinâmicas de segurança no próprio Resident Evil 6, que abriram as portas para os cheaters no modo Mercenaries. Manualmente, os moderadores da RE.net baniam os trapaceiros e uma atualização, liberada na semana passada, parece ter dificultado – pelo menos um pouco – a vida dos jogadores desonestos.

O sistema, porém, ainda está longe de ser perfeito. Não é raro encontrar páginas que simplesmente não funcionam ou ver erros de cálculo no total de RE Points, que pode flutuar bastante ao longo de um mesmo dia sem que o jogador faça nada para ocasionar as mudanças. O site também apresenta problemas de navegador e é incapaz de manter o jogador logado, obrigando que ele digite sua senha da rede e da ID de seu console sempre que quiser acessar os serviços.

A Capcom continua trabalhando em busca de soluções e vive em ritmo de versão Beta, destrinchando cada canto da ResidentEvil.net em busca de bugs. E essa etapa parece estar bem longe de ser concluída.

Um grande passo

Capcom anuncia rede social para Resident Evil 6

Mesmo com todos esses problemas, é impossível não parabenizar a Capcom pela criação da ResidentEvil.net e o esforço para mantê-la de pé. Já é possível ver diversas mensagens nas redes sociais solicitando ajuda nos eventos e a expectativa por novas ações é sentida o tempo todo, por meio de comentários ou mensagens entre usuários.

Acima de tudo, a rede social de Resident Evil 6 apresenta um grande potencial de utilização, como nunca visto antes na franquia. A entrega de itens especiais para quem mandar bem no game ou a marcação de partidas online entre amigos é apenas a ponta de um iceberg muito interessante e, principalmente, extremamente lucrativo.

Apesar da Capcom ainda não ter falado no assunto, o nome da franquia no título da rede social – e não o de um game específico – é uma indicação de que a rede deve, no futuro, englobar também os jogos vindouros da saga. Assim, será possível acompanhar o progresso dos jogadores não apenas em Resident Evil 6, mas na série como um todo.

A transformação da ResidentEvil.net em uma rede paga, com conteúdo proprietário e exclusivo, é mais uma das mudanças que podem ser esperadas. Assim, aos moldes de Battlefield Premium, a Capcom pode transformar seu serviço em algo mais exclusivo, presenteando fãs com brindes e dando a eles o acesso antecipado a DLCs e outros tipos de adicionais à jogabilidade.

Não dá para saber se a Capcom está disposta a transformar Resident Evil em um participante de e-sports, criando campeonatos oficiais do modo Mercenaries, por exemplo. Mas, nesse ensejo, a RE.net também seria um belo termômetro do potencial do game nesse quesito, revelando grandes jogadores e motivando a competição de forma geral. E quem conhece Street Fighter sabe que a empresa tem experiência de sobra com isso.

Acima de tudo, a rede conectada pode prover feedback para a Capcom. Relatórios de erros de servidores, bugs que possibilitam a obtenção de pontos ou problemas na inteligência artificial de inimigos podem ser descobertos por meio de uma análise cuidadosa dos dados obtidos pelo sistema, facilitando a criação de patches e a melhoria contínua dos títulos da saga.

ResidentEvil.net, como tantas outras empreitadas recentes da Capcom, é um teste. E, pelo jeito, mais uma ideia que de certo. Pelo menos, é isso que o total de mais de 120 mil jogadores cadastrados demonstra. Resta apenas que a empresa saiba trabalhar a rede de forma tranquila, sem tentar extorquir seus clientes e criando interações interessantes para manter os gamers sempre ligados.


Tags: , , , , , ,

Autor: Felipe Demartini Ver todos os posts de

Felipe Demartini (Evil Shady) trabalha com sites de Resident Evil desde 2000. É jornalista e descobriu nos games a melhor combinação entre trabalho e diversão.

15 Comentários em "ResidentEvil.net e o aprendizado da Capcom nas redes sociais"

  1. Janderson 03/11/2012 at 13:41 -

    alguem pode me ajudar no RE6? O q são esses Dog Tags?? (desculpem pela pergunt é pq eu comprei o jogo hj e preciso sbaer oq é isso)

    • Uncreed251 03/11/2012 at 17:16 -

      São placas de identificação quando for jogarr on-line (quando entra pra jogar em coop ou em agent hunter, aparece sua dog tag pro outro cara vice-versa! Para personalizar, vai em Jogar -Placas. Aí você personaliza com o Placa ( você ganha completando os capítulos das diferentes campanhas ), Título ( você ganha com feitos durante o jogo ), Emblema ( são as imagens dos troféus/conquistas que você já ganhou ), e personalizar da troféu/conquista!

  2. MathRe 03/11/2012 at 14:22 -

    Parabéns pela matéria =D

  3. JuniorK. 03/11/2012 at 14:25 -

    Janderson Dog Tags são umas placas que quando você joga online aparece o seu id online. Ai você pode deixar a sua Dog Tag como você quiser. Espero ter ajudado! =D

  4. marcos lima 03/11/2012 at 18:01 -

    alguem ai conseguiu se cadastrar residentevil.net?
    porque eu ja tentei e nao consegui como é que eu faco?

  5. mcle22 03/11/2012 at 19:49 -

    Matéria interessante!

  6. Rogue 03/11/2012 at 21:39 -

    por falar em rede social comecei a usar a Live a pouco tempo e não tenho amigos. Quem quiser me add minha gamertag é “rogueavampira”

  7. José Mac 04/11/2012 at 10:51 -

    Realmente uma das maiores sacadas que a Capcom ja teve! Que permaneça tb pros jogos vindouros!

  8. Janderson 04/11/2012 at 13:25 -

    vlw e só mais 1 perguntinha: para conseguir Rank B e Rank A no mercenarios, é preciso fazer qtos pontos?? (deculpe pela pergunta ´q pq só consigo Rank C)

    • Leonardo 04/11/2012 at 16:24 -

      Uma dica infalível para tirar A ou S é: vê no google aonde fica todos os tempos da faze e depois, só dê tiro na cabeça e finaliza ou no braço e finaliza. e depois que tu tiver cansado de fazer isso aprende a fazer os contra-ataques que é quando o zumbi vai te ataca você contra-ataca apertando RT ou R1 na hora certa, porém é muito rápido de acertar e cada zumbi exige o momento certo de apertar o botão, espero ter ajudado 🙂

      • Janderson 04/11/2012 at 16:50 -

        ajudou sim!! Consegui abrir Sherry e Pier, e as roupas da Helena e do Chris!! só falta conseguir a Ada e a Carla….

    • intellidencer Ada wong 04/11/2012 at 21:26 -

      tenta jogar de 2 q é mto + facil

  9. Leonardo 05/11/2012 at 12:33 -

    Então, para conseguir a Carla primeiramente, no seu caso, é necessário terminar a campanha da Ada para libera-la no mercenários. Após isso você precisará atingir A com todos os personagens para liberar as suas roupas (roupas de Chris, Leon, Jake, Sherry, Helena, Piers e Ada) feito isso, tendo todos os personagens e suas roupas você vai liberar a Carla. Espero ter ajudado de novo 🙂 meu msn: leonardo_brasileiro220@hotmail.com